Quarta-feira, 22 de Maio de 2024

Carros Sexta-feira, 14 de Outubro de 2022, 11:35 - A | A

14 de Outubro de 2022, 11h:35 - A | A

Carros / Cronos

Na marcha do mercado

Câmbio CVT é o trunfo do Fiat Cronos para alavancar as vendasCâmbio CVT é o trunfo do Fiat Cronos para alavancar as vendas



POR EDUARDO ROCHA
AUTO PRESS

 

Por muitos anos, o câmbio foi o Calcanhar de Aquiles dos carros da Fiat. Ou a marca era forçada a usar motores maiores, como o EtorQ 1.8, para conseguir conversar com um câmbio automático, ou apelava para o câmbio robotizado, incialmente batizado de Dualogic e depois de GSR, para equipar motores de menor cilindrada. A solução só apareceu mais recentemente, a bordo do crossover Pulse, que estreou um câmbio CVT para trabalhar com o motor 1.0 turbo ou com o 1.3 aspirado. Essa composição permitiu que o Cronos voltasse a brigar com os sedãs compactos mais equipados. Com a chegada do CVT, surgiram duas versões: a top Precision 1.3 CVT, e a Drive 1.3 CVT, na qual a Fiat deposita suas maiores esperanças de vendas. De fato, durante o lançamento, no final de julho, a marca projetou um aumento nas vendas mensais de 2 mil para algo entre 3.200 e 4 mil unidades. Em agosto foram mais de 3.700 e em setembro, passou de 3 mil.

Nesses dois meses de mercado, o preço do modelo aumentou em cerca de 6%. O Cronos Drive 1.3 CVT custa agora a partir de R$ 94.321 (contra R$ 88.790 na apresentação). Ainda assim, o preço permite que o Cronos faça alguma pressão no segmento de sedãs compactos. A briga fica mais equilibrada com o Toyota Yaris, que também tem motor aspirado com câmbio CVT e potência semelhante. O conteúdo do modelo japonês é um pouco superior, assim como o preço. O motor 1.3 do Cronos rende 98/107 cv e 13,2/13,7 kgfm e o câmbio CVT tem sete velocidades pré-programadas. Especificamente nas versões com CVT, o Cronos conta com controle de cruzeiro modo de condução Sport.

O sedã da Fiat traz ar-condicionado analógico, direção elétrica, travas, espelhos e vidros elétricos, alarme, chave com telecomando, computador de bordo, volante com comandos de rádio e telefone, display TFT de 3,5 polegadas no painel de instrumentos, sensor de obstáculos traseiro, sistema de monitoramento da pressão dos pneus e ajuste de altura do banco do motorista. A central multimídia traz tela sensível ao toque de 7 polegadas. Além de reconhecimento de voz, ela tem Bluetooth, Android Auto e Apple CarPlay, mas o espelhamento é via cabo.Na parte de segurança, o modelo não é dos mais bem equipados. Traz basicamente os itens obrigatórios, como airbag duplo, encosto de cabeça e cinto de três pontos para todos os ocupantes, ABS e controle de tração e estabilidade. A adoção do câmbio CVT não representou uma segunda fase para esta primeira geração do Cronos. Foi apenas uma forma de animar as vendas do modelo, uma vez que a Fiat já tinha o novo câmbio disponível. Uma mudança maior, incluindo um face-lift mais contundente, deve ocorrer apenas para a linha 2025.Custo/benefício – O Fiat Cronos Drive 1.3 CVT começa em R$ 94.321 e se acrescido de pintura, opcionais e acessórios passa fácil dos R$ 100 mil. Esse valor é menor que o das versões intermediárias de Chevrolet Onix e Hyundai HB20 com câmbio automático, mas ambos têm motor turbo e são mais equipados. O mais próximo em característica é o Toyota Yaris XL automático, que custa cerca de R$ 4 mil a mais, mas também traz mais equipamentos. Já Honda City e Volkswagen Virtus ficam em um patamar de preço bem mais alto – acima de R$ 112 mil. Nota 6.

Ficha técnica

Fiat Cronos Drive 1.3 CVT

Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.332 cm³, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Coletor de admissão variável, injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico.

Transmissão: Continuamente variável com sete velocidades pré-programadas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.

Potência: 98 cv com gasolina a 6 mil rpm e 107 cv com etanol a 6.250 rpm.

Torque máximo: 13,2 kgfm com gasolina e 13,7 kgfm com etanol a 3.500 rpm.

Aceleração 0-100 km/h: 11,6 segundos com gasolina e 10,6 s com etanol.

Velocidade máxima: 170 km/h com gasolina ou etanol.

Diâmetro e curso: 70 mm x 86,5 mm.

Taxa de compressão: 13,2:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, braços oscilantes inferiores com geometria triangular e barra estabilizadora, amortecedores hidráulicos e pressurizados e molas helicoidais. Traseira por eixo de torção com fixação central com molas helicoidais e amortecedores de duplo efeito. Oferece controle eletrônico de estabilidade de série.

Pneus: 185/60 R15.

Freios: Discos sólidos na frente e a tambor atrás. Oferece ABS com EBD.

Carroceria: Sedã em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. Comprimento de 4,36 metros com 1,73 m de largura, 1,51 m de altura e 2,52 m de entre-eixos. Possui airbags frontais de série. Peso: 1.155 kg.

Capacidade do porta-malas: 525 litros.

Tanque de combustível: 47 litros.Lançamento no Brasil: 2022.Produção: Betim, Minas Gerais.Preço: R$ 94.321. 

Álbum de fotos

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Foto: Eduardo Rocha/Auto Press

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]