Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

+Saúde Quarta-feira, 28 de Setembro de 2022, 10:47 - A | A

28 de Setembro de 2022, 10h:47 - A | A

+Saúde / Dia de Combate ao Estresse:

Como evitar e combater o problema

O estresse pode desencadear muitos outros problemas de saúde, como a compulsão alimentar; confira dicas para melhorar seus hábitos



23 de setembro, é o Dia Mundial de Combate ao Estresse. Sendo assim, trata-se de uma data simbólica para alertar sobre os riscos que a condição pode causar e como prevenir os sintomas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o estresse é tido como a “doença do Século 20” e tem afetado cada vez mais pessoas. Entre os sintomas mais comuns de um quadro de estresse, estão: dor de cabeça, desordens do sono, dificuldade de concentração, temperamento explosivo, estômago perturbado, insatisfação no trabalho, moral baixo, depressão e ansiedade.

A ansiedade, por exemplo, é um deles. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, o Brasil já é o país com mais pessoas ansiosas no mundo. Estima-se que pelo menos 10% da população do país conviva com esse transtorno.

Os sintomas da ansiedade causada pelo estresse podem variar de pessoa para pessoa. Contudo, um dos que mais preocupam é a compulsão alimentar periódica. Para a endocrinologista Elaine Dias JK, "os principais gatilhos para esse distúrbio são momentos de muito estresse que levam a pessoa a comer uma grande quantidade de comida e, geralmente, muito calórica em pouco tempo", comenta.

O estresse pode desencadear muitos outros problemas de saúde, como a compulsão alimentar; confira dicas para melhorar seus hábitos

A grande questão é que, quando não tratada, a compulsão alimentar pode colaborar para o aumento dos casos de obesidade. Dados do Ministério da Saúde já mostram que o excesso de peso está em mais de 60% da população, sendo que cerca de 20% dos adultos já estão obesos. Aliado a isso, 27% das pessoas com grau 3 de obesidade, relataram sofrer constrangimetos todos os dias.

Em relação aos alimentos ideais, a endocrinologista enfatiza a importância do descascar mais e abrir menos. "Ingerir o máximo possível de alimentos não industrializados, frescos e naturais, evitando opções que são fabricadas e, principalmente, os ultras processados e ricos em gordura trans. Esses alimentos levam a inflamação do nosso corpo, piorando o hormônio do estresse", finaliza.

Estresse causa enxaqueca - e dependendo da crise e da dor, a enxaqueca causa estresse. Esse é um ciclo vicioso que parece não ter fim. Os desconfortos gerados reduzem a qualidade de vida e podem se tornar incapacitantes, atrapalhando a realização de tarefas simples do dia a dia. No entanto, é possível se livrar das dores.

A especialista explica que o excesso de peso está atrelado a diversos fatores além do estresse, como: ansiedade, depressão, genética, alterações hormonais e ambiente familiar. "Infelizmente, os pacientes obesos sofrem muito preconceito da sociedade e passam constrangimentos diários, sendo esse um dos gatilhos para compulsão alimentar através do estresse", alerta Elaine.

Uma das reações provocadas pelo estresse e que pode levar à compulsão alimentar periódica é a busca por comidas mais palatáveis. Ou seja, aquelas que são mais açucaradas e gordurosas. "A grande quantidade é vista como forma de recompensa pelo dia estressante, através do sistema límbico do sistema nervoso central", explica a endocrinologista.

Atitudes que podem evitar o estresse - Ainda assim, ajustes simples podem ajudar você a evitar que o estresse e a compulsão. Para isso, a Dra. Elaine Dias JK fez uma lista com hábitos simples que podem transformar a sua rotina.

Confira a seguir

Alimentação equilibrada
Uma dieta saudável com oleaginosas (nozes e amendoim), vegetais (frutas como banana e cítricos) e grãos (arroz integral e lentilha) promovem o bem-estar e, por essa razão, o seu consumo diário ajuda a diminuir a sensação de esgotamento físico e psicológico.
Atividades físicas diárias
Coloque mais movimento em sua vida. E nem precisa de muito esforço no começo: basta meia hora por dia de exercício físico para aumentar a sua disposição e gerar uma carga de emoções positivas sobre o organismo. Tirar o corpo da inércia ajuda a reduzir o cortisol, que é um hormônio ligado ao estresse, e a liberar endorfinas na corrente sanguínea que promovem as sensações de alívio e bem-estar.

Descanse e aproveite a vida
Comece por arranjar tempo para descansar de fato todas as noites, indo para a cama mais cedo e fazendo a higiene do sono. Um banho antes de dormir, a cama bem-arrumada e roupas confortáveis, o quarto às escuras e um chá calmante antes de deitar contribuem para a atmosfera relaxante. Aproveite seus dias de folga do trabalho e dos estudos para repousar mais um pouco. Importante: procure não deixar férias para trás e faça passeios ou viagens a lugares que te tirem de vez do ciclo vicioso da rotina.
Administre melhor seu tempo
Você deve observar melhor a sua vida e traçar estratégias para tornar o cotidiano mais leve. Tudo começa por administrar melhor o tempo, que hoje parece passar cada vez mais rápido. Trace objetivos e prioridades. Faça o que é possível e valorize cada pequeno passo. Viva um dia de cada vez, com foco no presente, o que você também consegue com técnicas de ioga, meditação e respiração consciente.

Dicas
• Dormir de 7 a 9 horas por noite;
• Evitar ir tarde da noite para a cama;
• Realizar a higiene do sono;
• Ingerir comidas saudáveis,
• Inserir a meditação na rotina diária

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]