Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

Política Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018, 00:00 - A | A

21 de Fevereiro de 2018, 00h:00 - A | A

Política /

Presidente da ALMT diz que deixou sociedade de empresa em 2012 após descobrir esquema de propina no Detran



Por André Souza, G1 MT

 

presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (PSB), afirmou, nesta terça-feira (20), que deixou, em 2012, a sociedade da empresa Santos Treinamento depois de descobrir um esquema de propina com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). A empresa, segundo o Ministério Público Estadual (MPE), foi usada para lavagem de dinheiro público.

A suposta fraude é investigada na Operação Bereré, deflagrada na segunda-feira (19).

São investigados, além do presidente da ALMT, o deputado estadual Mauro Savi (PSB), o ex-deputado federal Pedro Henry e o ex-presidente do Detran-MT, Teodoro Lopes, o Dóia. Botelho e Savi são apontados pelo MPE como chefes do esquema.

Mauro Savi diz que irá prestar todos os esclarecimentos à Justiça. Botelho, que se elegeu em 2014 e iniciou o mandando no Legislativo estadual em 2015, negou as acusações.

Ele alega que deixou a sociedade da Santos Treinamento, em julho de 2012.

“Quando entrou o governo Silval houve uma pressão muito grande e parte da empresa foi passada para um representante dele. Nesse momento, soube que havia pagamento de propina, me senti mal com isso e deixei a empresa”, afirmou.

A participação na empresa como investidor foi classificada por Botelho como um 'erro'.

“Foi um erro que cometi na minha vida e isso vem me atormentando até hoje e está causando transtornos para mim e para minha família”, declarou.

A Santos Treinamento, de acordo com inquérito do MPE, recebeu “vultuosos montantes” da EIG Mercados Ltda (atual FDL Serviços de Registro, Cadastro, Informatização e Certificação Ltds), contratada para a prestação de serviços no Detran-MT.

A empresa, entretanto, não tinha nenhum empregado ativo no quadro de funcionários e nunca apresentou despesas com aluguel, energia elétrica, água, telefone, contador, impostos e outros gastos.

Operação Bereré

Operação Bereré cumpriu mandados em Cuiabá, Sorriso, a 420 km de Cuiabá, e Brasília, pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e pela Polícia Civil, contra desvio de verba do Detran.

oram cumpridos mandados na casa de Eduardo Botelho, na casa e no gabinete do deputado Mauro Savi, na casa do ex-deputado federal Pedro Henry e nas casas de servidores públicos e empresários.

O esquema é investigado pela Delegacia Especializada em Crimes Contra a Administração Pública e Ordem Tributária (Defaz) em conjunto com o Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco).

 

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]