Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

Política Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2024, 09:53 - A | A

12 de Fevereiro de 2024, 09h:53 - A | A

Política / Alta Floresta

Requerimento cobra explicações de projetos e valores pagos à empresa de Minas Gerais

Empresa de Minas Gerais que presta serviço para a prefeitura de Alta Floresta na área de projetos é questionada por vereadores



José Vieira
Mato Grosso do Norte

O vereador Francisco Ailton (Republicamos) externou seu descontentamento e desconfiança com o setor de Engenharia da Prefeitura de Alta Floresta, durante fala na Tribuna da Câmara, durante sessão do poder Legislativo e, posteriormente, em entrevista ao jornal Mato Grosso do Norte, na sexta-feira, 9.
Segundo ele, um projeto para a construção da sede de Associação dos moradores do bairro Bom Jesus, que está cobrando há dois anos, aos setores devidos da prefeitura, recentemente recebeu a informação que sequer foi repassado para o setor de Engenharia.
“É uma novela. O projeto nunca foi feito, apesar de eu estar sempre cobrando há dois anos. Agora fui informado que o projeto sequer foi passado para a Engenharia”, protesta o vereador.

Se referindo ao Secretário de Governo e Gestão, Robson Quintino, o vereador pediu para ele “se atentar”, por que não há somente 2 ou 3 vereadores na Câmara Municipal, mas 13 parlamentares. Todos representam a população e merecem atenção”, disse, acrescentando que também há o projeto da construção da sede da Associação dos Construtores que está parado.
Airton pontua que em 2023, a prefeitura argumentava que estava priorizando os projetos das escolas. No entanto, os projetos das escolas foram pagos para uma empresa de Minas Gerais, que presta serviço para a prefeitura de Alta Floresta.

Queremos saber o que a Engenharia fez de projetos e o que foi feito e pago para esta empresa Objetiva de Minas


Diante destas incongruências, Ailton disse que apresentou o projeto para cobrar as devidas explicações. “Quero saber! As escolas eram prioridades para não perder recursos, mas os projetos foram pagos pela empresa de Minas Gerais. E não está batendo”, questiona.
O Requerimento de iniciativa de Francisco Ailton, foi assinado também pelos vereadores Luciano Silva, Naldo da Pista e Leonice Klaus.
“Queremos saber o que a Engenharia fez de projetos e o que foi feito e pago para esta empresa [Objetiva] de Minas Gerais, que é terceirizada da prefeitura contratada em 2022”, acentua, mostrando-se confuso diante dos fatos de a prefeitura contratar uma empresa distante de Alta Floresta para fazer projetos para o município.
Ele cita um dos projetos, do CCI em que a empresa de Minas, [a Objetiva], recebeu mais de R$ 100 mil. “Teve projeto que a empresa recebeu mais de R$ 110 mil apenas para reformular. Queremos esclarecer, saber os valores gastos e fazer um comparativo com os valores aqui da região”, disse.
O parlamentar enfatiza que apesar de constar algumas informações do Portal da Transparência, a plataforma é confusa e dificulta o entendimento.
“Precisamos de documentos para esclarecer algumas situações e dúvidas que temos. Há atrasos e falta agilidade na elaboração destes projetos. Precisamos esclarecer, já que existe também, além do setor de Engenharia, a AMM [Associação Mato Grossense dos Municípios] e outras empresas que prestam serviço na área de projetos para a prefeitura”, assevera o vereador.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]