Quarta-feira, 22 de Maio de 2024

Política Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2022, 13:10 - A | A

29 de Dezembro de 2022, 13h:10 - A | A

Política / Renúncia da vice

Rose diz que Tuti armou contra ela; presidente da Câmara nega que queira dar golpe e assumir prefeitura

A vice-prefeita disse que refletiu e decidiu que o melhor para o município seria permanecer no cargo. Mas o presidente da Câmara se apressou em levar sua carta para o Plenário



José Vieira/ Mato Grosso do Norte    

A vice-prefeita de Alta Floresta, Rose do Tradição (PSB) que encerrará mandato no dia 31 de dezembro por ter pedido a renúncia do cargo, afirmou a Mato Grosso do Norte, na manhã desta terça-feira, 27, que não irá acionar a justiça para reaver o mandato, apesar de ter tentado voltar atrás e não renunciar.

Conforme Mato Grosso do Norte noticiou em primeira mão, após protocolar a Carta de renúncia, Rose tentou retirá-la e voltar atrás no pedido de renúncia, se arrependeu, manifestou vontade de permanecer e pediu a suspensão do processo. No entanto, apesar da interferência do prefeito, Chico Gamba, da primeira –dama e do secretário Robson Quintino, a Carta de renúncia acabou sendo lida e o presidente da Câmara, Oslen Dias, o Tuti, decretou a vagância do cargo a partir de primeiro de janeiro de 2023.

Rose afirma que decidiu permanecer no cargo porque houve pressão de vários secretários municipais, vereadores, o prefeito e a primeira-dama, além de muitos eleitores, que não queriam que ela saísse.

“Eu quis ficar porque houve esta pressão. A Carta não era para ir para o Plenário porque eu avisei antes, mas o Tuti não aceitou meu pedido de cancelamento de ofício. Colocou em Plenário só para mim não ficar mais como vice-prefeita. Eu ia segurar até no final, ele armou essa, mas não vou entrar na justiça com advogado para reverter, para não me desgastar”, assegura Rose.

Ela disse que, a princípio, havia sim tomado a decisão de renunciar ao mandato, mas depois de conversar com algumas pessoas, analisou a decisão e concluiu que deveria permanecer porque seria melhor para o município.

“Quero ver qual a justificativa dele não ter aceitado o meu pedido! A gente toma uma decisão, mas depois a gente tem o direito de analisar a decisão que foi tomada. E foi isto que aconteceu. Eu iria analisar com mais tempo, porque eu tinha até o dia 31 para entregar na Câmara o papel. Mas ele não me deu tempo.

Eu pedi a retirada para analisar certinho e ver o que era melhor. Mas ele, o mais rápido possível, levou para o Plenário, colocou em votação. Os vereadores votaram para mim ficar, ele não aceitou os votos e fez do jeito dele

”, lamenta Rose.

Rose confessa que está muito decepcionada com o processo político. Porém, com relação ao seu futuro político, deixa em aberto essa possibilidade. “Não vou falar que é definitivo porque é muito forte dizer isto e não sabemos o dia de amanhã. Vai que precisem de mim? ”, solta uma interrogação. “Sou parceira para toda hora”, conclui.

Outro lado - Questionado por Mato Grosso do Norte sobre as declarações da vice-prefeita, Tuti enviou um link de uma entrevista sua, concedida nesta terça-feira, 27, à Tevê Nativa, de Alta Floresta. Na entrevista, diz que que seguiu o rito da Câmara ao tratar do pedido de renúncia da vice-prefeita.

“Qualquer Carta ou ofício que chega ao meu gabinete, eu coloco para ler na próxima sessão. E o caso dela não foi diferente, embora ela fala que aceleramos a sessão. Mas a Carta renúncia da vice-prefeita não é votada. Somente lida!”, enfatiza. Sobre a votação que a vice-prefeita disse que a maioria dos vereadores votaram para ela permanecer, Tuti rebateu que Rose está equivocada, sem saber nada do assunto.

“Quando foi feita a leitura da Carta, terminou a leitura eu declarei o cargo vago a partir de primeiro de janeiro. Depois fizemos um projeto de decreto legislativo que 8 vereadores votaram contra, mas era eliminando o cargo de vice-prefeito, a partir de janeiro, até no final do mandato do atual prefeito, porque não precisa mais ter o cargo neste período, não tem mais vice-prefeita. O cargo continua, mas vago porque ela renunciou. Não tem nada a ver com a renúncia, que se concretizou na leitura da carta”, explica Tuti. Tuti também afirmou na entrevista que a vice-prefeita nunca lhe procurou para falar da renúncia. E o documento que ela protocolou depois, segundo ele, foi tratado por terceiros.

“Eu suspendi a sessão e convoquei uma reunião no meu gabinete. Dos 10 vereadores, 8 pediram para tocar a sessão e ler a carta”, assegurou.

O vereador negou que queira dar um golpe para assumir a prefeitura de Alta Floresta. “Independente do que acontecer, Chico é meu irmão e jamais iria prejudicá-lo. Não vou dar golpe e ele continua no cargo até no final”, disse. Com a renúncia de Rose e a decretação da vagância do cargo, o presidente da Câmara passa a ser o vice-prefeito na ausência do prefeito e assume a prefeitura.

 

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]