Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

Atualidades Segunda-feira, 25 de Julho de 2022, 18:14 - A | A

25 de Julho de 2022, 18h:14 - A | A

Atualidades / Nova Bandeirantes

Executivo busca parceria para viabilizar financiamento imobiliário

Além da presença do responsável pela pasta, alguns munícipes receberam atendimento para esclarecimento de dúvidas e condições para a aquisição do financiamento



Nova Band Hoje

Na última sexta-fira, 22, representantes da Caixa Econômica Federal estiveram no município em reunião com o secretário municipal de Indústria e Comércio João Batista da Silva. O objetivo da reunião visa firmar parceria entre o poder público municipal a e instituição financeira no tocante a financiamentos habitacionais. Além da presença do responsável pela pasta, alguns munícipes receberam atendimento para esclarecimento de dúvidas e condições para a aquisição do financiamento.

O representante da entidade financeira César Paulo em entrevista ao Nova Band Hoje, aproveitou para esclarecer alguns pontos no que tange as linhas de crédito oferecidas pela Caixa.

“Nós viemos aqui para poder tirar essa dúvida das pessoas que pensam que isso é um bicho de sete cabeças, mas é uma cabeça só... vamos desmistificar isso daí, vamos ajudar Nova Bandeirantes a construir com o financiamento de casas novas, usadas e aquisição de terrenos”, explicou.

A parceria com a prefeita também destacou a parceria com o executivo municipal, citando o exemplo de outras cidades como Alta Floresta. “Estamos com esta parceira com a Caixa de mais de 8 anos de mercado, onde já conseguimos liberar mais de R$ 40 milhões de reais liberados. Hoje nós estamos aqui para ajudar Nova Bandeirantes também a construir este caminho”, apontou.

A exemplo da regularização fundiária no município em áreas rurais, no ambiente urbano a situação por vezes não difere muito, consequentemente gerando com isso alguns impasses para agilizar a situação, em muitos casos os proprietários de imóveis urbanos possuem apenas o chamado contrato de gaveta.

“Nestes casos é preciso regularizar o imóvel, pois envolve a questão da matricula, ou que fica no nome dono... então nós vamos ter que começar um novo processo agora de regularização”, salientou.

César citou aproveitou para citar um caso de imóvel que passou por todo um trâmite para regularização. “Nós já financiamos uma casa aqui, onde o dono não tinha documentação, ele correu atrás e regularizou tirou o Hatibese e averbou a casa, sendo hoje esse imóvel financiado”, disse.

De acordo com o representante da Caixa, a orientação no que diz respeito as taxas e questão de desmembramento também serão passadas para as pessoas que desejam pleitear um financiamento, além do suporte que a prefeitura vai conceder com o departamento de engenharia. Fator importante e cabe ser ressaltado é o padrão de construção do imóvel a ser financiado, havendo todo um critério a ser seguido.

“A casa sendo de alvenaria pode ser financiada normalmente tanto sendo novo como usado. O que não pode é uma construção nova com telha de Eternit, neste caso tem que usar lage. Nos casos de telha de barro, telha de concreto e telha isotérmica... tudo isso aí a Caixa financia”, destacou. Edificações que fazem o uso do chamado forro de PVC ou madeira, também entram no pacote de financiamentos do banco.

Perfil atingido

O antigo Minha Casa Minha Vida agora é o Casa Verde-Amarela, programa do governo federal que tem como foco principal, facilitar o acesso para a casa própria para as pessoas com a renda acima de R$ 1400 reais. “Ela inicia com a renda de R$ 1400 reais, podendo ser utilizada a renda familiar até R$ 7 mil reais”, apontou Cesar. O agente financeiro anda explicou que nos casos havendo uma superação da renda estimada, existem outras linhas de financiamento.

“Nestes casos existe o SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), que praticamente hoje com os juros que o governo baixou, praticamente é igual ao Casa Verde-Amarela. Nosso limite vai de R$ 80 mil até R$ 3 a 5 milhões, nos casos de subsídios eles podem chegar até R$ 15 mil reais”, informou. Quanto ao percentual de financiamento do imóvel, o interessado consegue dependendo dos casos 80% do valor solicitado na negociação. Ainda segundo o representante, o prazo máximo de financiamento pode chegar até 360 meses ou 420 meses com a alienação do imóvel

. Primeiros passos

Para tentar difundir esse trabalho em Nova Bandeirantes, as primeiras reuniões com a Secretaria de Indústria e Comércio, ainda por se tratar de assunto recente está prevista novas reuniões com o executivo municipal para definição de tratativas. “Como essa ideia surgiu agora com o primeiro passo em Nova Bandeirantes, então nós vamos marcar uma segunda vinda e fazer uma divulgação mais ampla, para massificar mais a questão do financiamento”, disse. O projeto se expande para outros municípios como Apiacás e Nova Monte Verde.

Poder Público

Foto/ Nova Band Hoje

foto

 

Estando à frente de uma pasta que tem como um dos objetivos principais o fomento de novos negócios e investimentos, João Batista da Silva salientou alguns pontos desta iniciativa. “Dentro da secretaria a gente fica feliz em ter um momento como esse. Eu quero agradecer as pessoas que estiveram aqui participar desta reunião, onde buscaram entender um pouco do projeto”, frisou. João destacou a inciativa como sendo muito importante e interessante, principalmente com a carência de moradia que há na cidade.

Com a expansão da economia local e a chegada de novos investimentos, se faz necessário o uso de mecanismos para que o interessado em adquirir um imóvel tenha mais facilidade no trâmite.

 

“Com a carência que temos de moradias no município, e cada dia aumentando a população... muitos estão pagando aluguel e hoje precisam de ter a casa própria. Com essa facilidade da Caixa em trazer esse projeto que facilita o prazo, acaba sendo muito interessante”, frisou.

O secretário enfatiza a importância de trazer novos projetos a exemplo desse para Nova Bandeirantes. “Eu vejo assim... dentro da minha secretaria é preciso a gente estar buscando algo para a melhoria de Nova Bandeirantes, pois a cada dia vem crescendo ainda mais”, apontou.

João frisou também a questão da regularização imobiliária no perímetro urbano.  “É preciso regularizar a questão de documentações. Temos aqui uma questão de check-list, onde vamos estar passando para todas as pessoas interessadas que podem nos procurar na secretaria”, finalizou.  

 

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]