Quinta-feira, 23 de Maio de 2024

Carros Sexta-feira, 24 de Junho de 2022, 17:24 - A | A

24 de Junho de 2022, 17h:24 - A | A

Carros / CAOA CHERY

Palco iluminado

Caoa Chery oferece versões eletrificadas para seu line-up, com cinco modelos que chegam ao mercado até agosto



por Eduardo Rocha
Auto Press

                As fabricantes sempre buscam algum elemento que possa estabelecer uma diferenciação na multidão de marcas e modelos. Atualmente, a grande aposta é a eletrificação, que está em estágios bem avançado em mercados centrais, como Estados Unidos, Europa e China, mas que no Brasil ainda está incipiente. Por isso, chama a atenção a aposta da Caoa Chery, de oferecer modelos eletrificados para todos os modelos que comercializa por aqui. Ao longo dos três próximos meses, a marca vai incluir no seu line-up cinco modelos eletrificados, em diferentes níveis: o iCar BEV, Tiggo 5X 48V, Tiggo 7 48V, Tiggo 8 PHEV e Arrizo 6 48V. Além desses, continuam em linha três SUVs com motorização térmica convencional: Tiggo 5X, Tiggo 7 Pro e Tiggo 8 Pro.

Caoa Chery oferece versões eletrificadas para seu line-up, com cinco modelos que chegam ao mercado até agosto

O primeiro a chegar será o iCar, um subcompacto 100% elétrico com 3,20 metros todo estruturado em alumínio com carroceria em polímero. O entre-eixos, de 2,15 metros, é totalmente preenchido por um conjunto de baterias com capacidade de 30,7 kWh. Por conta do tamanho e dos elementos de construção, o carrinho pesa apenas 995 kg e consegue uma autonomia em torno de 280 km, ou cerca de 9,2 km/kWh em média – a título de comparação, um Volvo C40, faz 5,6 km/kWh no mesmo ciclo WTLP.

Trata-se, obviamente, de uma proposta bem diversa. O iCar é eminentemente urbano, com espaço apenas para quatro passageiros e 100 litros de bagagem – ou dois passageiros e 380 litros. Na China ele é vendido desde 2019 com o nome de eQ1, com o mesmo motor elétrico que direciona para as rodas dianteiras seus 61 cv de potência e seus generosos 15,3 kgfm de torque. O conjunto consegue acelerar o subcompacto de zero a 100 km/h em 12,9 segundos. Em relação ao conteúdo, o destaque fica com a central multimídia com tela de 10,25 polegadas, painel digital, ar automático, chave presencial e teto fixo em vidro. O modelo já está sendo oferecido por R$ 139.990, o que faz dele o elétrico mais barato do mercado brasileiro.

O modelo mais sofisticado da marca, o Tiggo 8, é também o que recebeu o maior grau de eletrificação entre os novos híbridos da marca. O modelo, que inicialmente será importado da China, traz um sistema híbrido plug-in, ancorado no conhecido motor 1.5 turbo a gasolina, que rende 147 cv e 22,5 kgfm, associado a dois motores elétricos que adicionam 170 cv e 34,1 kgfm ao total de 317 cv e 56,6 kgfm direcionados para as rodas dianteiras. O modelo recebe um câmbio DHT – Dedicated Hybrid Transmission –, com dois motores elétricos internos e 11 modos de atuação – que podem ser analogamente considerados marchas. Com isso, o Tiggo 8 PHEV é capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 6,7 segundos.

O sistema híbrido do SUV de sete lugares trabalha com uma bateria com 19,7 kWh, capaz de oferecer uma autonomia em modo totalmente elétrico de até 77 km. Na aferição de consumo, o modelo fez média de 42,7 km/l no ciclo combinado, segundo as normas WTLP europeias. O conteúdo da versão plug-in é rigorosamente o mesmo da versão Pro com motor a explosão, o conhecido 1.6 TGDI de 187 cv e 28 kgfm com câmbio de sete marchas e dupla embreagem. No visual, porém, há uma diferença por conta da nova frente, com mudança na grade, faróis e lanterna. Ambas as versões, no entanto, adotam agora um pacote completo de recursos ADAS. Ele inclui centralizador de faixa, alerta de colisão, frontal e traseira, frenagem autônoma, controle de cruzeiro adaptativo, assistência de tráfego, faróis adaptativos etc. O Tiggo 8 Pro plug-in híbrido está previsto para chegar ao mercado em agosto por R$ 269.990, enquanto o Tiggo 8 Pro sai por R$ 201.990.

O outros três modelos eletrificados recebem um sistema auxiliar de 48V, já bastante difundido em marcas de luxo alemães. O Tiggo 5X híbrido e o Tiggo 7 híbrido passam a ser produzidos em Anápolis na mesma linha das versões convencionais enquanto o Arrizo 6 híbrido passa a ser o único sedã oferecido pela marca, importado da China – a versão com motor a explosão teve sua produção interrompida com o fechamento da planta de Jacareí. As versões híbridas dos Tiggo 5X e 7 passam a ser vendidos em julho, por R$ 169.990 e R$ 199.990, respectivamente.

Nas versões convencionais, o Tiggo 5X Pro sai por R$ 164.990 enquanto Tiggo 7 Pro fica em R$ 193.790. As diferenças para as versões convencionais do 5X se resumem à adoção do sistema start/stop, carregador de celular por indução e sensor de chuva, além do volante de base reta. Já o Tiggo 7 se diferencia apenas pelo sistema start/stop e pelo novo desenho das rodas de 18 polegadas. Por fim, o Arrizo 6 híbrido vai custar, quando chegar em agosto, R$ 159.990 e traz a nova grade característica da marca, em forma de treliça com rebites cromados, para-choques, faróis e lanternas redesenhados. O modelo vai brigar diretamente com o Toyota Corola híbrido, que custa a partir de R$ 177.590, mas traz um conteúdo mais completo.

Os modelos híbridos de 48 V da Caoa Chery trazem todos a mesma motorização. Trata-se do motor 1.5 turbo flex com 160 cv e 25,5 kgfm, sempre com câmbio CVT de nove velocidades pré-programadas. São 10 cv e 4,1 kgfm a mais que as versões com motor térmico, originados pelo trabalho do gerador de partida BSG – Belt Starter Generation –, que é conectado por correia ao virabrequim. Esse equipamento substitui o alternador e o motor de arranque e usa uma bateria de 350 W e 48V para recuperar a energia das desacelerações e frenagens e devolvê-la ao conjunto na forma de torque e potência adicionais nos momentos críticos, como arrancadas e retomadas.

Mais do que uma reação imediata do mercado, a Caoa Chery quer antecipar um novo posicionamento, consolidando uma imagem de tecnologia e modernidade – daí o novo slogan “Ligth Up The Future”, que substitui o atual “Qualidade, tecnologia e design”. Pela pequena diferença de preço entre os modelos com 48V, os executivos da marca esperam rapidamente atingir 50% do volume de Tiggo 5X e 7 com cada versão. Já o Tiggo 8 PHEV, a expectativa é atingir entre 200 e 300 unidades mensais ‑ mesmo volume projetado para o pequeno iCar. 

Álbum de fotos

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]