Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

Geral Sexta-feira, 09 de Setembro de 2022, 18:07 - A | A

09 de Setembro de 2022, 18h:07 - A | A

Geral / DIVERGÊNCIAS POLÍTICAS

Divergência política acaba em assassinato

Rafael Silva de Oliveira suspeito de ter assassinado a facadas Benedito Cardoso dos Santos, 42, durante uma discussão política



Olhar Direto

Em depoimento ao delegado Victor Oliveira, o bolsonarista Rafael Silva de Oliveira, 24 anos, deu detalhes de como matou com requintes de crueldade o colega de trabalho e apoiador do ex-presidente Lula (PT), Benedito Cardoso dos Santos, de 44, em uma chácara localizada a 34 quilômetros de Confresa, em Mato Grosso, na noite da última quarta-feira, 7 de setembro. 

O apoiador do presidente relatou que ambos estavam fumando, quando começaram a discutir, pois nenhum concordava com a opinião do outro. Eles estariam na cozinha e Benedito teria dado um soco no queixo de Rafael, que revidou com outro soco no peito.  Por pouco tempo eles cessaram as agressões, mas depois Benedito teria buscado uma faca sobre a mesa e ficado parado. O bolsonarista disse que partiu para cima do lulista com intenção de tomar a faca. Ele acabou cortando a mão direita e mesmo ferido continuou tentando até conseguir tomar a arma. 

Quando Rafael pegou a faca, Benedito saiu correndo, enquanto era perseguido pelo acusado. O bolsonarista, então, atingiu um golpe de faca nas costas da vítima, que continuou correndo.  Rafael perseguiu Benedito até ele cair no chão. Já em cima da vítima, o bolsonarista desferiu um golpe no olho e outro na garganta do lulista. 

A vítima conseguiu pegar uma pedra e atingir o rosto do acusado, que ficou ainda nervoso e continuou a golpeá-lo com faca por cerca de 15 vezes.  Ainda vivo, o lulista teria xingado o bolsonarista de filho da p*. Com isso, Rafael afirma ter ficado ainda mais alterado e teria decidido pegar um machado que estava entre algumas ferramentas de trabalho.  Ele viu a vítima gemendo de dor e deu um golpe fatal no pescoço de Benedito. O delegado afirmou que a intenção do acusado era decapitar o rival. 

A fuga O bolsonarista detalhou também a tentativa de fuga. Segundo ele, depois do homicídio, tentou se livrar do machado e o jogou em uma cerca do outro lado da estrada perto da chácara.  Depois, retornou para casa, onde lavou as mãos, pegou roupas limpas e a faca. Na saíde ele deixou a arma perto do machado. 

Rafael foi caminhado até Confresa e no caminho trocou de roupa, pois estava sujo de sangue. Por volta de 6h do dia seguinte (8) ele chegou ao Hospital Municipal de Confresa procurando por atendimento médico.  O acusado alegou ter sofrido um roubo, mas policiais militares compareceram na unidade e o interrogaram, pois sabiam do homicídio ocorrido na chácara. Diante das suspeitas, encaminharam Rafael para delegacia, onde ele confessou o homicídio. Na sequência, ele levou os investigadores até a cena do crime e mostrou onde estavam as armas. 

O delegado representou pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva. O juiz da 3ª Vara de Porto Alegre do Norte, Carlos Eduardo Pinho, acatou o pedido em audiência de custódia realizada quinta-feira (8).  Na decisão, o juiz cita que há indícios suficientes para a qualificação da prisão, uma vez que, o acusado já responde por outros crimes contra a vida.  Ele diz ainda que a intolerância não deve e não será admitida.

"Assim, em um Estado Democrático de Direito, no qual o pluralismo político é um dos seus princípios fundamentais torna-se ainda mais reprovável a conduta do custodiado. A intolerância não deve e não será admitida, sob pena de regredirmos aos tempos de barbárie. Lado outro, verifica-se que a liberdade de manifestação do pensamento, seja ela político-partidária, religiosa, ou outra, é uma garantia fundamental irrenunciável". 

Rafael não possui advogado e disse não ter interesse em comunicar a prisão aos familiares. O inquérito deve ser finalizado em breve. O prazo é de dez dias.

https://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=508243&noticia=bolsonarista-deixou-lulista-agonizando-com-15-facadas-e-deu-machadada-fatal-apos-ser-xingado

 

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]