Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

Política Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 14:20 - A | A

21 de Junho de 2024, 14h:20 - A | A

Política / Mato Grosso

Deputado critica projeto que cria corredor para Onça Pintada

Para Dilmar Dal Bosco, projeto propondo um corredor ecológico nas margens dos rios Araguaia e Tocantins, irá impactar produtores e a Agricultura Familiar. E não foi discutido pelo parlamento dos Estados



José Vieira
Mato Grosso do Norte

O Deputado estadual Dilmar Dal Bosco (União Brasil), líder do governo e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária de MT, na Assembleia Legislativa, externou sua indignação contra o projeto de Lei de autoria do deputado federal do Estado de Goiás, Ismael Alexandrino (PSD-GO), que propõe a criação do corredor ecológico da Onça-Pintada em território nacional, em área contínua de 20 quilômetros em cada margem dos rios Araguaia e Tocantins, nos estados de Mato Grosso, Goiás, Maranhão, Tocantins e Pará.
Dilmar classifica o projeto como “uma aberração”. Na opinião dele, seria inviável criar este corredor e os Estados abrangidos no projeto, sofrerão um grande impacto. Além disso, observa que falta conhecimento ao deputado de Goiás, com bases em Estudo ambiental, ao propor a matéria.
No entanto, o deputado afirma que não fará nota de repúdio contra o projeto. Mas irá enviar um ofício oficial em nome da Assembleia Legislativa, como deputado e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária de MT, se posicionando contrário a criação do corredor. Observa ainda que Ismael não se preocupou sequer em discutir o projeto com todos os Estados impactados. Para ele, o autor teria que ter trazido a discussão para o parlamento destes Estados.

“Ele propôs a lei sem discutir com ninguém! Faremos um documento oficial contra essa aberração que penaliza ainda mais nossos agricultores. Não aceitaremos mais uma punição injusta em nosso estado”, enfatiza Dilmar, acrescentando que o deputado não procurou discutir a proposta antes de apresentá-la, com os deputados de Mato Grosso, do Pará, de Tocantins e do Maranhão.
“Nós já estamos cansados da criação de reservas, de parques ecológicos, muitas vezes criado pelo Governo Federal e Governo estadual, que não olham para o produtor, para a Agricultura Familiar e para os municípios que podem deixar de existir. Até concordo em proteger a Onça Pintada, mas não precisa colocar 20 quilômetros de margens do rio. Já tem o Código Ambiental Brasileiro que define as margens de APP - Área de Preservação Permanente. Vamos nos posicionar contra este projeto do deputado Ismael Alexandrino”, disse.
Ele teme que com o passar do tempo se criará ainda mais restrições para os produtores, a exemplo do que aconteceu com o CAR (Cadastro Ambiental), que se transformou numa lei restritiva. “Não podemos deixar passar este projeto para este corredor ecológico, criado sem nenhum critério”, assegura.

 

VÍDEO

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]