Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

Política Quinta-feira, 17 de Setembro de 2015, 00:00 - A | A

17 de Setembro de 2015, 00h:00 - A | A

Política /

PARANAÍTA: Prefeito não aceita ser cobrado e até deixa de cumprimentar vereadores

Jornal Mato Grosso do Norte



O vereador Elias Benvindo (PMDB) fez um verdadeiro desabafo na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Paranaíta, realizada na quinta-feira, 10.  Descontente com o prefeito Tony Rufatto, que conforme ele, não aceita que os vereadores  façam seus trabalhos de cobrar  e questionar  as ações do Executivo municipal, o vereador afirmou que foi eleito e é pago para fiscalizar  o prefeito e os secretários municipais e que não irá mais ficar calado diante do que achar que não está correto.
Conforme Elias, o prefeito Tony Rufatto, quando é questionado ou criticado na tribuna da Câmara Municipal, deixa de cumprimentar o vereador que fez o pronunciamento, ou  se posicionou nos veículos de comunicação.
O vereador disse que até há pouco tempo era conhecido na cidade de Paranaíta como ‘o língua de fogo. E agora, está sendo chamado de língua de gelo, mas que isto vai mudar.  “É o preço que você paga por ser do mesmo partido do prefeito. Hoje quando saí de casa para a sessão, vinha pensando em não usar a tribuna porque não posso falar o que eu quero. Antes eu via as coisas e falava. Hoje tenho que ficar segurando. Mas isso acabou. Em breve podem se preparar que vai vir um dragão. Não é mais língua de fogo”, pontuou o vereador.
O vereador assegurou também que  não vai aceitar que façam com ele o mesmo que foi feito com os vereadores Choto e Netinho, que questionaram uma obra de asfalto da prefeitura no bairro Jardim Esperança, foram processados pelo prefeito e tiveram uma foto publicada com um carimbo na primeira página de um jornal.
“Se eu fizer alguma coisa como vereador e alguém me meter um carimbo daquele, não respondo por mim! Achei uma falta de respeito com os vereadores  que apenas estavam cumprindo com seu papel de defender o povo. Sou amigo do prefeito, não tenho nada contra ele, mas lá é a prefeitura e aqui é a Câmara. Os vereadores tem que fazer seus trabalhos”, reitera Elias.
Segundo Elias, o prefeito Tony Rufatto fica de cara virada para os vereadores que se posicionam com divergência à Administração e deixa de cumprimentá-los. “O vereador não pode enxergar nada porque o prefeito nem às horas pra gente dá. Por causa de um pronunciamento  que fiz na tribuna, ficamos duas semanas sem se falar. O vereador tem que parabenizar, votar os projetos, fiscalizar e cobrar a administração. Não tem que penalizar vereador nenhum por  estar fazendo o seu trabalho”, enfatiza o peemedebista.
O parlamentar  também criticou o prefeito Tony Ruffato por ter uma previsão de gasto, na Lei de Diretrizes Orçamentária-LOA- para o próximo ano, de mais de três milhões para seu  próprio gabinete e apenas um milhão e quinhentos para a Agricultura.  “Espero que o prefeito entenda meu papel de vereador. Assim como respeitamos a prefeitura, a administração tem que nos respeitar também. Sei que  amanhã mesmo ele já pede o áudio da sessão.  Mas eu não tenho medo e não nasci pra semente. Fui eleito pra fiscalizar e vou fazer o meu trabalho”, tergiversa o vereador.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]