Terça-feira, 21 de Maio de 2024

Política Sexta-feira, 08 de Julho de 2022, 08:51 - A | A

08 de Julho de 2022, 08h:51 - A | A

Política / Polícia na Comunidade Guadalupe

Vereadores classificam atitude como autoritarismo; apenas um defende o gestor

Vereadora Ilmarli Teixeira classificou o ato como abuso de autoridade. Pitoco foi o único a defender o prefeito



José Vieira
Mato Grosso do Norte

A decisão do prefeito de Alta Floresta em mandar a Polícia Militar para pôr fim a uma manifestação, na quinta-feira, 30/6, de moradores que cobravam cascalhamento da rodovia que serve de acesso à comunidade Guadalupe, repercutiu na Câmara Municipal. O fato foi citado por alguns vereadores em seus pronunciamentos na sessão desta terça-feira, 5.
Entre todos que abordaram a questão, apenas o vereador Derci Trevisan, o Pitoco, defendeu o prefeito. Os demais, condenaram a atitude do chefe do executivo municipal.
O vereador José Eskiva (PL) classificou o caso como triste. “É doído estar lutando por um direito, de forma pacífica e mandarem a polícia lhe retirar do local”, disse o vereador, orientando o gestor municipal, na próxima vez, a ir conversar, invés de mandar a polícia.
A vereadora Ilmarli Teixeira (PT) condenou a atitude do chefe do executivo municipal, reiterando que é um direito de todos, assegurados pela Constituição, se manifestar. Para a parlamentar, a atitude do prefeito foi um equívoco e ele foi ‘muito infeliz” ao mandar a polícia para a comunidade.

Vereadora Ilmarli Teixeira classificou o ato como abuso de autoridade. Pitoco foi o único a defender o prefeito

“Foi autoritarismo, coação e inibição de um ato que a constituição garante”, disse a vereadora.
No entanto no final, a parlamentar amainou sua fala, ao anunciar que no próximo sábado, 9, a Associação de Moradores da comunidade Guadalupe irá realizar uma reunião, e que o prefeito foi convidado e confirmou que irá participar da mesma, para esclarecer os fatos.
O vereador Derci Paulo Trevisan, Pitoco (PSDB), foi o único que defendeu a decisão do prefeito municipal. Segundo o vereador, a Polícia foi lá na comunidade, porque “realmente, os moradores não queriam sair. E foi o caminho que encontraram para poder liberar as máquinas”.
“Sobre a Guadalupe, é complicado, porque o município tem um cronograma, fazendo primeiro o serviço necessário. Depois quando der tempo, volta para fazer os pontos críticos e o cascalhamento. Se fizer para uma comunidade vai ter que fazer para todas. E as máquinas precisam trabalhar e atender a comunidade”, justificou em sua defesa do Executivo.
Porém, o presidente da Associação de Moradores da Comunidade Guadalupe, Adir Rodrigues da Silva, contestou a afirmação do vereador Pitoco, reafirmando que quando o prefeito mandou a polícia, os moradores já tinham decidido que iriam deixar o local e liberar a saída das máquinas da prefeitura.
“A gente tinha se reunido e falado que iriamos liberar as máquinas. Nós estávamos se preparando para sair e chegou a polícia”, afirma Adir. Ele acrescenta que os policiais que foram ao local, apenas conversaram com os moradores, de forma pacifíca.
O presidente da Câmara Municipal de Alta Floresta, Oslen Dias, o Tuti, classificou o ato como desnecessário. “Com relação a comunidade Guadalupe, foi desnecessário. Acho que o diálogo é tudo”, disse.

Comente esta notícia

Agnaldo Alves da Silva 07/07/2022

Prefeito so precisa fazer o trabalho completo. Faz 4 anos de serviços paliativos. Esse vereador pitoco nao nos representa. Sua estrada dentro da cidade sempre foi uma porcaria .quem trabalha em órgãos públicos sao pagos com dinheiro de imposto dos trabalhadores eleitores.nos nao pagamos imposto para o partido do prefeito. Por isso que o prefeito deveria parar de escutar fofoqueiros e pucha sacos e fazer para todos eleitores idependente os lados.

1 comentários

1 de 1

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]