Quarta-feira, 22 de Maio de 2024

+Saúde Terça-feira, 25 de Outubro de 2022, 08:25 - A | A

25 de Outubro de 2022, 08h:25 - A | A

+Saúde / Conscientização

Outubro Rosa

s números dos diagnósticos avançados da doença no Brasil no período de 2015 a 2021 equivalem a 42% dos casos



Rosildo Barcellos     

É uma campanha anual e realizada mundialmente, com a intenção de alertar a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. A mobilização visa também à disseminação de dados preventivos e ressalta a importância de olhar com atenção para a saúde, além de lutar por direitos como o atendimento médico e o suporte emocional, garantindo um tratamento de qualidade.     Durante este mês é interessante observar e debater este tema para encorajar mulheres a realizarem seus exames. O conhecimento é fundamental para a prevenção, visto que nos estágios iniciais, a doença é assintomática.  

  Não posso deixar de dizer que o câncer de mama é um tumor maligno que ataca o tecido Ele se desenvolve quando ocorre uma alteração de apenas alguns trechos das moléculas de DNA, causando uma multiplicação das células anormais que geram o cisto. Desta forma diagnosticar o câncer precocemente aumenta significantemente as chances de cura, 95% dos casos identificados em estágio inicial têm possibilidade não evoluir prejudicialmente.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) das 11,5 milhões de mamografias que deveriam ter sido realizadas no ano passado

Por isso, a mamografia é imprescindível, sendo o principal método para o rastreamento da doença, e o autoexame da mama ( como mostrado na foto) é o pontapé inicial para qualquer análise.   

De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) das 11,5 milhões de mamografias que deveriam ter sido realizadas no ano passado, apenas 2,7 milhões foram feitas. A diminuição acentuada do exame é um fator de risco para milhares de mulheres e um alerta para a importância de se falar sobre o assunto.  Por outro lado o movimento teve início no ano de 1990 em um evento chamado "Corrida pela cura" que aconteceu em Nova Iorque, para arrecadar fundos para a pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation.

O evento ocorria sem que houvessem instituições públicas ou privadas envolvidas. A medida em que cresceu, outubro foi instituído como o mês de conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo.    A primeira ação no Brasil aconteceu em 2002, no parque Ibirapuera, em São Paulo.

Com a iluminação cor-de-rosa do Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista. A partir de 2008, iniciativas como essa tornaram se cada vez mais frequentes. Diversas entidades relacionadas ao câncer passaram a iluminar prédios e monumentos, transmitindo a mensagem: a prevenção é necessária. Quero ressaltar ainda que o câncer de mama é a principal causa de morte por câncer entre as mulheres no país e, quando descoberto em estágio inicial, tem ampla condição de cura. Os números dos diagnósticos avançados da doença no Brasil no período de 2015 a 2021 equivalem a 42% dos casos.

Os casos avançados que receberam os procedimentos de tratamento em 2020 atingiram 43% e, em 2021, 45% do total de casos de mulheres que receberam tais procedimentos nos estágios 3 e 4.   

No ano passado 45% das mulheres que fizeram quimioterapia para tratar câncer de mama, receberam o diagnóstico em estágio avançado. O percentual significa 157 mil casos em estágios 3 e 4. Nas mesmas fases da doença, mais de 28 mil brasileiras fizeram radioterapia para o câncer de mama. Outra informação interessante é que mais de 60% das mulheres diagnosticadas começaram o tratamento após o prazo determinado na Lei 12.732/12, que é de até 60 dias a partir da confirmação do câncer.

Os dados mostram que, em 2020, o tempo médio ficou em 174 dias entre a confirmação do diagnóstico e o início do primeiro tratamento. Ou seja com os dados do DATASUS, as pessoas esperaram 114 dias a mais do que o previsto na lei para iniciar o tratamento e isso certamente prejudica o próprio desenrolar das ações de políticas públicas para o setor.  

*Articulista  

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]