Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

Variedades Segunda-feira, 03 de Agosto de 2015, 00:00 - A | A

03 de Agosto de 2015, 00h:00 - A | A

Variedades /

Sob os holofotes

Jornal Mato Grosso do Norte



Por Caroline Borges

TV Press

      A segurança de Maurício Destri é uma característica que salta aos olhos. Aos 23 anos, o ator natural de Criciúma, em Santa Catarina, sempre teve seus objetivos profissionais bem delineados. Na pele do correto e justo protagonista Benjamin, de "I Love Paraisópolis", ele começa a ter as primeiras noções da carga de responsabilidade e visibilidade que uma posição de destaque pode acarretar em sua trajetória. "As pessoas pararam para ver o meu trabalho. É muito interessante ser reconhecido. O mocinho dá esse senso de responsabilidade grande. Estou tendo acesso a um público que nunca tive e chegando a todos os lugares", aponta.

      A experiência na atual trama das sete inaugura um momento inédito na rotina de Maurício. Em sua quarta novela, o ator se depara com um ritmo intenso de gravações. Ainda assim, a carga atribulada de trabalho não o assustou. Inclusive, o volume maior de sequências o ajuda a entender melhor o atual projeto e respeitar seu limite no vídeo. "Quando se tem só duas cenas, por exemplo, não há tempo hábil para dar o melhor. Com 10 sequências, por mais que você derrape em uma ou outra, tem mais chances de fazer do jeito que quer. É bom esse ritmo frenético", valoriza.

      Na história escrita por Alcides Nogueira e Mário Teixeira, Benjamin é apaixonado pela mocinha Marizete, interpretada por Bruna Marquezine. Idealista e de bom caráter, o personagem tem um projeto para revitalizar a comunidade Paraisópolis, em São Paulo. No entanto, para isso, terá de enfrentar o ambicioso vilão Gabo, de Henri Castelli, e a mãe Soraya, vivida por Letícia Spiller. Apesar de contar com o arquétipo clássico do mocinho, Maurício acredita que a construção do seu personagem o tenha afastado do estereótipo do herói clássico. "Benjamin é um mocinho bem contemporâneo. Ele é humano e, às vezes, acerta e erra como todo mundo. Não é um mocinho com uma definição homogênea. Acho que é o grande diferencial da novela", defende.

      O processo de composição exigiu uma atenção especial do ator. Logo no início dos "workshops", o diretor geral Carlos Araújo pediu que Maurício se inspirasse e buscasse trejeitos em um rapaz na faixa etária dos 30 anos. Para isso, ele procurou referências no filme "Taxi Driver", de Martin Scorsese, e nos trabalhos do ator francês Alain Delon. "A ideia era sair desse universo adolescente. Tenho consciência de que fotografo mais novo no vídeo. Foi um trabalho de entender o papel e suas angústias. O Benjamin tem 24 anos, mas é um personagem que tem uma carga dramática intensa", explica.

      Quem vê Maurício tão confortável diante das câmeras nem imagina que o ator começou na carreira de forma despretensiosa. Ainda adolescente, por influência de uma prima, se matriculou em um curso de teatro em São José dos Campos, mas sem a intenção de seguir profissionalmente na carreira. "Com o tempo, fui me identificando. Sempre fui o palhaço da família. Acho que já tinha um desejo e não sabia. Gostava de fazer os outros rirem", lembra. No entanto, foi em São Paulo que a carreira de Maurício começou a ganhar forma. Durante expediente em um restaurante na capital paulista, o ator recebeu um convite do produtor de elenco Luciano Rabello para um teste para a novela "Cordel Encantado", de 2011, onde deu vida ao príncipe Inácio. "Quando entrei na tevê, percebi que gostava muito desse universo. É uma linguagem bem própria e difícil de pegar inicialmente. No começo, senti uma dificuldade em sair do teatro para a televisão", ressalta.

 

Boa alma

      O jeito tranquilo, de bom moço, imediatamente transporta Maurício Destri para os papéis de mocinho. Não é à toa que, ao longo da sua recente trajetória na tevê, o ator encarou uma série de personagens de boa índole, como o doce Inácio, de "Cordel Encantado", e o romântico Vinny, de "Sangue Bom". "Estou começando ainda. Espero fazer outros tipos de personagens. Não tenho medo desse rótulo da televisão. Procuro sair sempre da zona de conforto. Gosto de correr riscos", explica.

      Apesar de contar com características semelhantes de outros personagens, o ator acredita que o sério Benjamin seja um dos papéis mais inesperados de sua carreira na televisão. "É meu primeiro papel de destaque. Esse personagem exigiu coisas novas de mim. E, principalmente, tem um distanciamento com a minha realidade", avalia.

 

Instantâneas

# Logo no início dos trabalhos de "I Love Paraisópolis", Maurício viajou para Nova Iorque para gravar as primeiras sequências do folhetim. "Foi muito bom para aprofundar o convivência e o companheirismo com o elenco e equipe", afirma.

# Em "I Love Paraisópolis", o ator volta a trabalhar com o diretor Carlos Araújo, com quem esteve em "Sangue Bom".

# Com autocrítica exacerbada, Maurício procura rever suas cenas sempre que pode e avaliar seu desempenho. "Sou muito duro comigo. Sofro bastante. Mas preciso entender para onde o personagem está indo", conta.

# Logo depois de sua estreia em "Cordel Encantado", o ator conquistou um contrato longo com a Globo.

 

"I Love Paraisópolis"  – Globo – Segunda a sábado, às 19:20 h.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]