Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

Atualidades Sexta-feira, 27 de Julho de 2018, 00:00 - A | A

27 de Julho de 2018, 00h:00 - A | A

Atualidades /

Campus de Alta Floresta tem programação especial para celebrar 40 anos da Unemat



Ana PAULA Selhorst
Mato Grosso do Norte

 A Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT- completou quarenta anos este mês, com cerca de 60 cursos de graduação e 13 campus universitários. A consolidação da Universidade em Mato Grosso tem uma extensa história de luta, desafios e conquistas. História esta que também está sendo escrita no município de Alta Floresta, com seus 26 anos de existência.
  Sob a reitoria da professora Dra. Ana Maria de Renzo e com o futuro reitor eleito, professor Dr. Rodrigo Bruno Zanin, a Universidade busca agora uma renovação, através da integração comunidade-universidade, onde o ensino não esteja focado apenas nas técnicas, mas também no desenvolvimento social e humano. 

 Em entrevista exclusiva ao Jornal Mato Grosso do Norte, o Diretor Político Pedagógico Financeiro do Câmpus Alta Floresta, o Professor Dr. Luiz Fernando Ribeiro, relatou como esta relação será aplicada na realidade altaflorestense, bem como os desafios enfrentados, as conquistas e as comemorações realizadas durante todo o ano para o quarentenário da Instituição.
Desafios - Possuindo uma infraestrutura de três Câmpus Universitários: Câmpus I, II e o Museu de História Nacional, a Universidade está ampliando suas instalações, com a construção do bloco três e quatro no Câmpus II. No entanto, operar durante a carência desta ampliação representa um desafio a ser vencido.
“Falta uma estrutura para os próprios acadêmicos e para a própria comunidade desenvolver atividades de esporte, lazer e cultura. Somos uma Universidade nova, tanto no Estado quanto no município. Quando a UNEMAT chega em uma cidade, dificilmente constrói um bloco ou uma cidade universitária, uma escola é adaptada para a Instituição. No câmpus 1 foi assim, já no câmpus 2 foi possível a construção da cidade universitária”, relatou ele. 
Conquistas - Com uma representação importante para Alta Floresta e região, a Instituição já formou mais de 14 mil profissionais em nível de graduação.  “Começamos com apenas dois prédios e hoje já temos praticamente 26 laboratórios. Conseguimos o bloco 1, na gestão do professor Jesus Paixão. O Centro de Tecnologia (CETAM) e a marcenaria na gestão do professor Marco Antonio Camilo. E na minha gestão conseguimos a construção do bloco 3 e do bloco 4”, ressaltou ele. 
“Outra conquista foi o curso de Direito, que conseguimos trazer para Alta Floresta, além de 07 novos técnicos contratados (4 administrativos, 2 motoristas e 1 laboratorista)”, relata. Atualmente a Universidade oferta quatro cursos.
Conquista social para a região- “Acredito que a conquista para a Universidade foi grande, mas foi maior ainda para a cidade. A Instituição trouxe a oportunidade de os filhos da região estudarem aqui, com qualidade, devolvendo para a sociedade pessoas que nós formamos, que até onde sabemos são profissionais muito bem-conceituados”, afirmou ele.
Expectativas- Sobre as mudanças que ocorrerão durante o novo mandato da reitoria e as reflexões dos 40 anos, ele pontuou: “Eu acredito muito na consolidação da UNEMAT no Estado de Mato Grosso. A plataforma do professor Rodrigo é a de uma Universidade para a sociedade. Teremos foco em atividades de extensão, realizando atividades culturais. Eu acredito que a Universidade vem para fazer mais parte da sociedade. Uma Universidade mais humana, voltada para o povo e para as necessidades da cidade. Ela vai continuar sendo forte naquilo que é destaque - que é a pós-graduação, a pesquisa, a graduação - mas uma questão que não vinha recebendo a atenção adequada, a extensão universitária, vai ser fortalecida”.  
Integração - Desejando edificar ainda mais o relacionamento entre a população e a Universidade, Luiz Fernando ressaltou que a UNEMAT é um patrimônio do Estado de Mato Grosso, tudo que é um patrimônio faz parte do povo.
“A população tem que sentir que a UNEMAT faz parte dela e a reciproca também tem que ser verdadeira. Nós temos que receber estas pessoas dentro de nossa Instituição. O caminhar da nossa política nacional é de que as Universidades públicas possam vir a se extinguir, e se nós não lutarmos por aquilo que nós acreditamos - que é um ensino de qualidade, público e gratuito - a tendência é que isso ocorra. Nós não podemos acabar com o sonho do cidadão de se qualificar e ter uma vida melhor. É por isso que vamos ter que sair e ir ao povo e dizer: ‘nós somos importantes para vocês’”, enfatiza. 
Os 40 anos - Celebrando o aniversário da Instituição, diversas comemorações foram realizadas em todo o estado. 
“Foi uma ideia da professora Ana Maria di Renzo, que todos os Campus vão estar fazendo atividades de 40 anos. Elas começaram no início do ano. Na sexta-feira a Universidade aniversariou, mas as nossas atividades não param por aí. Vão seguir por todo o ano de 2018. Nós fizemos o baile, o passeio ciclístico, a exposição da Universidade. Fizemos um sarau com contos de história. Vamos resgatar o “Venha nos Conhecer”, onde a Universidade vai ficar aberta durante seis meses para qualquer escola ou pessoa que queira conhecer nossos trabalhos e os laboratórios da Universidade”, observa.
“Essa também é uma ideia para mostrar ao indivíduo o que é a Universidade e trazer aquela pessoa, criança ou adolescente que acha que nunca vai chegar em uma Universidade, que ela pode sim chegar lá. Vamos inaugurar a galeria dos diretores, tanto pedagógicos quanto administrativos, onde será feito um rol com as fotos dos diretores que já passaram no Campus de Alta Floresta”, finaliza ele.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]