Domingo, 19 de Maio de 2024

Caderno B Sexta-feira, 16 de Setembro de 2022, 09:53 - A | A

16 de Setembro de 2022, 09h:53 - A | A

Caderno B / VITRINE

Conto criminal

Pedro Nercessian mergulho no universo do jornalismo investigativo para viver o Davi de “Bom Dia, Verônica”



POR GERALDO BESSA
TV PRESS

Foi com surpresa que Pedro Nercessian atendeu ao telefone e ouviu o convite para atuar em “Bom Dia, Verônica”. Fã da série da Netflix e do trabalho do roteirista Raphael Montes, o ator começou a questionar como seu nome foi parar na mente dos produtores de elenco. “Logo lembrei de um dia que conversei com o Raphael. Ele sabe que sou fã de todas as obras dele, em especial, ‘Dias Perfeitos’. Acho que isso pode ter ajudado a lembrarem de mim”, avalia. Na segunda temporada da elogiada série que conta a saga de Verônica, de Tainá Muller, ex-escrivã da polícia de São Paulo que precisa mudar de vida para proteger a própria família, Pedro vive Davi, um jornalista especializado na editoria policial que acaba tornando-se braço-direito da protagonista. “Davi é um jornalista com sede de notícia, apaixonado pela profissão e com sangue nos olhos. Quando Verônica pede sua ajuda para desmascarar um falso líder religioso, ele entende que, além de uma grande matéria, eles têm o dever de parar um homem que está abusando de centenas de mulheres”, entrega.

Gravada entre o final do ano passado e o início de 2022, “Bom Dia, Verônica” representou o retorno de Pedro aos estúdios de televisão após o período da pandemia. Produzida pela Conspiração Filmes e tendo a cidade de São Paulo como cenário e personagem, o ator logo se empolgou com o clima extremamente realista da história. Para entender as motivações de seu personagem, ele teve a ajuda inestimável do jornalista investigativo Pedro Figueiredo, da Globo. “O Pedro é jovem e investiga a fundo casos de corrupção na política. Marcamos uma longa conversa, onde ele me revelou como era seu trabalho e como lidava com toda a pressão e carga desta rotina, inclusive com os riscos de denunciar gente tão poderosa e perigosa”, explica. Para se inteirar sobre os acontecimentos, o ator também resolveu maratonar novamente a primeira temporada da produção e se divertiu ao relembrar que seu personagem foi citado em uma das sequências. “Quando vi o Prata, do (Adriano) Garib, falando que tinha um marido, não imaginei que, em alguns meses, eu estaria vivendo esse papel. Essa é a magia do audiovisual”, avalia.

Pedro Nercessian mergulho no universo do jornalismo investigativo para viver o Davi de “Bom Dia, Verônica”

Atualmente, Pedro aguarda também a estreia de “Fim”, série da Globo baseada no livro de Fernanda Torres. Os trabalhos começaram no início de 2020, mas tiveram de ser interrompidos. Recentemente, o elenco se reuniu para finalizar as gravações. “Enxergo essa série como a realização de um sonho. Sou fã do livro e do trabalho do Andrucha (Waddington, diretor). Não pude ser dirigido por ele no projeto sobre o Chacrinha por conta de agenda, mas agora deu certo”, garante. Além das produções na tevê e no streaming, o ator segue seu trabalho à frente do projeto “Atitude Positiva”, que apresenta em escolas públicas do Rio de Janeiro a peça “Amanheceu”, espetáculo educativo que aborda assuntos como gravidez, ISTs e violência contra mulher, entre outros assuntos urgentes. “Sou formado pela Escola de Teatro Martins Penna. Foi lá que despertei esse espírito questionador e com engajamento político e social. Além de teatro, lá a gente aprende a ser cidadão, lutar pelo coletivo e ter responsabilidade artística”, entrega.

Carioca da gema e sobrinho do celebrado ator Stepan Nercessian, Pedro pisou pela primeira vez em um estúdio como elenco de apoio jovem de “O Clone”, em 2011. Algumas peças e “pontas” depois, ele teve seu primeiro personagem de maior destaque na temporada 2004 de “Malhação”, onde viveu o roqueiro Fabrício. “Foi uma temporada muito vitoriosa e lembrada até hoje”, valoriza. Ao longo dos anos, o ator esteve em novelas como “A Força do Querer”, na Globo, e “Amor Sem Igual”, da Record, mas focou mesmo sua carreira nas séries, em destaque, produções elogiadas como “Justiça” e “Assédio”. “Praticamente, cresci na tevê. Tenho muito orgulho e sorte dessa história que estou escrevendo e acho que ainda existe muito a fazer”, garante.

“Bom dia, Verônica” - Netflix - duas temporadas disponíveis.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]