Domingo, 19 de Maio de 2024

Política Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2022, 08:35 - A | A

12 de Dezembro de 2022, 08h:35 - A | A

Política / Biênio 2023/2024

Duas chapas disputam presidência da Câmara Municipal de Alta Floresta

O atual presidente, Oslen Dias (Tuti) é favorito para a disputa. 8 vereadores declararam que votam em sua chapa



José Vieira
Mato Grosso do Norte

A eleição que irá eleger a mesa diretora da Câmara Municipal de Alta Floresta, para o biênio 2023/2024 irá ser realizada na noite terça-feira, 13, na última sessão ordinária do exercício de 2022. Duas chapas foram registradas. E são encabeçadas pelo atual presidente da Câmara Municipal, Vereador Oslen Dias, o Tuti (PSDB) e a concorrente pelo vereador Marcos Menin (MDB).
A chapa Trabalho e Transparência é formada pelos vereadores Oslen Dias (Tuti)- presidente, vereador Claudinei de Jesus (MDB)- vice-presidente, Bernardo Patrício (MDB)- 1º secretário e Francisco Airton- 2º secretário.

A Chapa denominada Direita, tem Marcos Menin- presidente, Darci Paulo Trevisan- vice-presidente, Douglas Teixeira- 1º secretário e Adelson da Silva Rezende- 2º.
Conforme o jornal Mato Grosso do Norte apurou, o vereador Tuti poderá se reeleger com até 9 votos, sendo que, além dos 4 vereadores que compõem a chapa, já declaram que votam no atual presidente, os vereadores Naldo da Pista, Luciano e a vereadora Leonice Klaus.
Em suas redes socais, Tuti publicou uma foto com foto de 8 vereadores que estariam fechados com sua chapa. Além dos 4 membros da chapa, na foto aparece também os vereadores Naldo da Pista, Luciano Silva, Zé Eskiva e Leonice.

A Mato Grosso do Norte, Tuti afirmou na manhã deste domingo, que sua expectativa é que sua chapa obtenha 9 votos. Além dos 8 vereadores que firmaram compromisso com a chapa Transparência, ele acredita que a vereadora Ilmarli Teixeira também adira a chapa.

No entanto, a vereadora Ilmarli (PT), questionada pelo jornal, respondeu que seu voto ainda está sob análise. Na manhã deste domingo, a petista disse que irá se posicionar sobre a eleição, somente na terça-feira na hora da sessão.

Porém, uma fonte informou ao jornal, que Ilmarli ficou chateada porque estaria pleiteando um cargo na chapa Transparência, mas acabou sendo preterida. E estaria se sentindo traída e magoada pelo atual presidente.

Ilmarli é a única, dos 13 vereadores, que não anunciou para quem será o seu voto. Mas mesmo estando magoada, com o atual presidente, não é certo que ela vote na chapa Direita, poderá optar por se abster, ficando neutra da disputa.

Para o vereador Luciano Silva, que declarou voto na chapa encabeçada pelo atual presidente, dificilmente a vereadora irá votar na Chapa Direita, e talvez se abstenha. “Eles usaram este nome [Direita] porque acharam que a vereadora do PT faria parte da composição da chapa do Tuti. E a denominação de Direita passa a impressão que não querem o voto dela”, analisa Luciano.

Conforme Luciano, o que difere as duas chapas são o PDT [partido de esquerda] que é representado na chapa de Menin, e o Republicanos [de direita] que está na chapa de Tuti. “Se formos considerar os partidos que compõem as chapas, a encabeçada pelo Menin é de esquerda, pois tem um partido de esquerda, que é o PDT. PSDB e MDB tem nas duas chapas”, observa Luciano.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]