Domingo, 19 de Maio de 2024

Política Sexta-feira, 23 de Setembro de 2022, 07:54 - A | A

23 de Setembro de 2022, 07h:54 - A | A

Política / FORA DO CONTEXTO

Justiça derruba propaganda eleitoral de Neri Geller contra Fagundes

A juíza reconheceu que o vídeo compartilhado é visivelmente descontextualizado, sendo misturadas notícias e afirmações



Assessoria

A juíza auxiliar de propaganda eleitoral, Ana Cristina Mendes, derrubou a propaganda eleitoral promovida por Neri Geller (PP) por tentar enganar o eleitor utilizando notícias de forma descontextualizadas para associar o candidato à reeleição Wellington Fagundes a casos de corrupção relacionados ao ex-governador Silval Barbosa.

 Além disso, a magistrada determinou multa de R$ 50 mil por inserção, além da perda do direito à veiculação de propaganda no horário eleitoral gratuito do dia seguinte ao da decisão, na hipótese de descumprimento desta decisão desta quinta-feira (22).

  A juíza reconheceu que o vídeo compartilhado é visivelmente descontextualizado, sendo misturadas notícias e afirmações relacionadas ao candidato Wellington Fagundes, que impossibilitam o eleitor de fazer qualquer juízo de valor sobre o conteúdo de campanha.

 O vídeo em questão de menos de 30 segundos apresenta informações de forma genérica sobre casos de corrupção, mas sem informar em que contexto aconteceram.

 "A divulgação desse conteúdo revela-se verdadeira estratégia, dissociada dos objetivos da propaganda eleitoral gratuita, tendo por escopo denigrir a imagem do candidato Wellington Fagundes, mediante criação de estados mentais e emocionais no destinatário da mensagem, ao tentar, deliberadamente, vinculá-lo à pratica de corrupção", diz a magistrada em um trecho da decisão.

 Ela observou ainda que a permanência desse vídeo enganoso, no período próximo as eleições traz perigo de dano e ainda salientou que a propaganda eleitoral não tem essa finalidade de atacar os adversários com notícias falsas ou descontextualizadas, enganando o eleitor.

 "O bem maior que se busca é a manutenção do estado de paridade de armas entre os candidatos na busca pelo voto formado pela consciência do eleitor, livre das influências das notícias falsas ou descontextualizadas".

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]