Sábado, 18 de Maio de 2024

Atualidades Sexta-feira, 01 de Julho de 2022, 08:30 - A | A

01 de Julho de 2022, 08h:30 - A | A

Atualidades / Comunidade Guadalupe

Moradores cobram cascalhamento de estrada, impedem saída de máquinas, mas polícia acaba com manifestação

“Nosso prefeito mandou a polícia tirar nós da estrada, depois que já haviamos decido liberar as máquinas”, disse Adir.



Reportagem
Mato Grosso do Norte

Moradores da Comunidade Guadalupe, na região conhecida como Pedra do Índio, realizaram nesta quinta-feira, 30, uma manifestação para tentar impedir que as máquinas da prefeitura de Alta Floresta, que trabalhavam na estrada que dá acesso à comunidade, saíssem sem realizar o serviço que estava sendo cobrado.
Conforme os moradores, o serviço de recuperação da rodovia não foi concluído, além disso, também cobravam que a estrada fosse cascalhada e a construção de um bueiro. O cascalho para a realização do serviço foi doado por uma moradora e se encontra num local de fácil acesso.
O objetivo do movimento seria resolver definitivamente o problema enfrentado pelos moradores em função da precariedade da estrada, que na maior parte do tempo oferece péssimas condições de trafego, principalmente no período de chuvas, quando se torna lisa e forma atoleiros, expondo a população à risco de acidentes.
Moradores informaram que foi iniciada uma obra para revitalização da estrada que liga a comunidade à rodovia. No entanto as máquinas evadiam do local sem a devida finalização. Então, foi organizada uma manifestação pacífica. Bloquearam a saída da comunidade com veículos e solicitaram o pronunciamento das autoridades locais.
Foi relatado que já ocorreu muitos acidentes pela má conservação da estrada e também que os 27 alunos que residem na comunidade, têm dificuldade de serem recolhidos pelo ônibus escolar.

Moradores da Comunidade Guadalupe realizaram uma manifestação, cobrando o cascalhamento da estrada

O Ailton Molizi (Baiano), morador da comunidade há mais de 20 anos, relata que sempre houveram promessas. Porém, nunca foram cumpridas, e que muitas vezes é “iniciada, mas nunca finalizada”.
A moradora Alexandrina Aparecida Benfica Sopeletto também ratifica a importância da implantação de uma rotatória na entrada da comunidade.
Essa rotatória teria a função de auxiliar na saída e entrada da comunidade, tendo em vista a quantidade de acidentes no local.

 

Foto: Mato Grosso do Norte

Comunidade Nossa Senhora de Guardalupe

 

O presidente da Comunidade, Adir Rodrigues da Silva, que estava a frente do movimento, disse que os moradores estavam cobrando apena seus direitos, de forma pacífica. “Queremos o cascalhamento da estrada, mas disseram que não pode ser feito agora, e que será feito depois. Mas todo os anos falam a mesma coisa e a comunidade está cansada”, disse.
A intenção dos moradores, conforme Adir, seria não deixar as máquinas saírem sem fazer o cascalhamento da estrada.
Todavia, a estrada permaneceu fechada por algumas horas. Porém, administração municipal acionou a polícia para comparecer no local e fazer os manifestantes desobstruírem a estrada e permitir que as máquinas saíssem, pondo um fim na manifestação da comunidade.
Ele disse que tentaram conversar com o prefeito e o gestor disse que não iria cascalhar a estrada agora e não sabe quando.
Adir afirma que os manifestantes haviam decidido em reunião liberar as máquinas, quando foi enviada a Polícia Militar, para tirá-los da estrada.
“Nosso prefeito mandou a polícia tirar nós da estrada, depois que já haviamos decido liberar as máquinas”, disse Adir.
Em conversa por telefone com a TV Nativa, o prefeito de Alta Floresta, Chico Gamba, alegou que a prefeitura tem um cronograma de trabalho a ser cumprido e neste momento, não tem máquinas e equipes para fazer cascalhamento. A prioridade da gestão é não deixar estradas interditas com atoleiros e pontes danificadas, e que seria impossível cascalhar 3 mil quilômetros de estradas.
E adiantou que não irá ceder à pressão. “Vamos fazer o que é possível e não vamos ceder à pressão nenhuma. Não adianta forçar a barra que, fora do nosso alcance, não vai ser com pressão e manifesto que nós vamos fazer”, declarou o gestor.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]