Quarta-feira, 22 de Maio de 2024

Caderno B Sexta-feira, 10 de Junho de 2022, 10:42 - A | A

10 de Junho de 2022, 10h:42 - A | A

Caderno B / PERFIL

Hora da verdade

Aos 40 anos, Paulo Lessa aproveita sua primeira oportunidade como protagonista na pele do destemido Ítalo de “Cara e Coragem”



POR MÁRCIO MAIO
TV PRESS

Chegar ao posto de protagonista na tevê, na maioria das vezes, é um caminho longo. Para Paulo Lessa, o destemido Ítalo de “Cara e Coragem”, foi assim. Hoje com 40 anos, o carioca já aposta nas artes cênicas desde meados dos anos 2000. Mas a chance de ganhar um dos principais papéis da novela das 19h da Globo veio meio que por acaso e foi conquistada após uma bateria de testes. “A novela já estava praticamente toda fechada. A partir da saída de um ator, resolveram abrir seleção para o Ítalo. Inicialmente, foi entre 15 atores. Ficamos três para a final e, então, consegui meu primeiro protagonista”, comemora.

Na trama, Ítalo é um guarda-costas com experiências de fazer inveja nos profissionais dessa área. Afinal, trabalhou até para o presidente dos Estados Unidos. Contratado por Clarice, papel de Taís Araújo, para trabalhar na Siderúrgica, os dois acabaram se envolvendo e, nessa história de amor, muita coisa começa a acontecer. “Ítalo é o herói, o cara que se propõe a desvendar todo esse mistério da morte da esposa. Quer descobrir quem armou tudo isso e a matou”, defende Paulo. Nessa aventura para investigar o crime, os caminhos do instrutor de parkour cruzam com os dublês Moa e Pat, vividos por Marcelo Serrado e Paolla Oliveira.

Para suas cenas, Paulo precisou aprender um pouco mais sobre parkour. Ele já conhecia o esporte, mas por vídeo da internet a que já tinha assistido. “A novela que me deu essa oportunidade de conhecer vários praticantes que estão com a gente. Inclusive o meu dublê, Alexandre Roque, que é fundamental para a construção do personagem”, valoriza. Para Paulo, seria impossível fazer as cenas, por mais que tenha treinado bastante. “Não é a mesma coisa. São anos de prática ali. Está sendo muito legal, não é um esporte popular”, avalia.

A felicidade pelo espaço conquistado em “Cara e Coragem” trouxe junto o peso da responsabilidade. E, é claro, uma agenda bem mais lotada de trabalho. “Gravo praticamente todos os dias e gravo muito. Fico feliz, porque é uma carreira muito difícil, instável, incerta. Você não sabe quando vai surgir um personagem como esse. É uma felicidade imensa, mas bate certo medo no início”, confessa. Por outro lado, o alcance que a novela tem e a representatividade que carrega nessa posição tornam o processo ainda mais gratificante. “Tem essa responsabilidade também da mensagem que a gente faz chegar na casa das pessoas”, reconhece.

Para se preparar, Paulo teve o apoio da preparadora de elenco Cris Moura. Juntos, buscaram referências que ajudassem o ator. Algumas mais óbvias, como o clássico filme “O Guarda-Costas”, de 1992, estrelado por Kevin Costner e Whitney Houston, assim como uma série da Netflix chamada “Bodyguard”. “Mas a gente pegou outras não tão óbvias assim, não tão diretas, para entender a relação entre Clarice e o Ítalo. Como, por exemplo, ‘Cenas de um Casamento’, da HBO, que é incrível”, diz.

“Cara e Coragem” – Globo – Segunda a sábado, na faixa das 19h, com reprise alternativa de terça a domingo, às 2h.

Comente esta notícia

Rua Ivandelina Rosa Nazário (H-6), 97 - Setor Industrial - Centro - Alta Floresta - 78.580-000 - MT

(66) 3521-6406

[email protected]